sábado, 12 de fevereiro de 2011

doença

ó rei, que eu saiba
não há causas para as doenças.

há longas vidas inconformadas
no lugar onde estamos.

tinta e impressão do que deveria ser
e é em outro lugar.

cidades, árvores, vozes, pessoas,
falta tudo à doença dos homens,
falta a chama da presença,
falta a esperança da morte.

outro lugar, uma cidade, sem presente ou passado,
cidades falsas, árvores amigas e amores,
doenças.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

não sou poeta maldito, mas amaldiçoo todos os que lerem e não comentarem [risos] calma, podem comentar a vontade