terça-feira, 14 de dezembro de 2010

iracema 2

o dia amorenou-se em noite
e o religioso adentrou-se no pau-a-pique

ele fumou uns tabacos
também comeu tabacos
e só não bebeu tabacos por falta de copo

no fim, esbanjou-se nos fluídos
dos olhos da cunhã vadia

domingo, 28 de novembro de 2010

iracema

alencar, meu querido
os verdes mares tem plástico,
e minha terra natal, onde canta o sabiá,
morreu entre as jandaias,
quando cortaram as carnaúbas.

ó, alencar,
ainda sinto falta dos verdes mares,
onde as jandaias cantarolavam!

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

para minha cidade

é amarga minha pátria morta,
a capital da paraíba,

as graúnas que pousam nos galhos não cantam o sangue da bandeira,
sim, graúnas pretas e um sangue vermelho,
apenas gritam "nego", "nego".

há flores baixas que se inculcam por tulipas,
há estrelas que causam nojo aos pardais,
e a larva do campo rejeita seus grãos.

tua gente esquece quem por ti lutou
velam os mártires modernos, de água benta no sangue,
fazem lutos extensos e antigos,
e sua bandeira continua negando,
chorando mortos e canos de armas adúlteros.

minha terra perdeu a vergonha, não sofre mais,
não há mais luta, não á mais luto, não há mais choro,
mas a bandeira mantém seu choro, e permanece negando.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

fragmentos 17 e 18

vai te foder, parmênides!
que porra é isso de machos destros e fêmeas sinistras?

quando o homem e a mulher
cultuam vênus
o que importa está no centro
e não nos lados

terça-feira, 19 de outubro de 2010

ausência de fragmentos

os deuses nos invejam
pois fazemos sexo
e sentimos orgasmo
e tudo o que eles têm
é o mérito de nos ter criado

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

fragmento 5

sou sempre o mesmo:
de onde vim, pra lá retornarei,
faço isso todas as noitas
reentrando nas xoxotas santas de onde brotei

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Verbalismo

verbalizar, odeio verbalizar!
odeio transformar os seres em fazeres,
repudio os agires que penso
pelos pensares que ajo

terça-feira, 7 de setembro de 2010

leito de morte

o homem que cala olhando a morte
odeia o nascimento?


responda, pessoa!

o homem que cala olhando o poente
odeia o nascente?

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

prazeres

ai que prazer de não cumprir um dever,
me afeiçoo a fernando pessoa
e bebo um conhac à sua homenagem
e fico feliz, pois pessoa deve estar no inferno
aproveitando a morte melhor que os vivos do céu

terça-feira, 3 de agosto de 2010

desculpas

caro leitor,

sinto muito pelas tradições,
lamento pelos bons costumes
e pela moral burguesa,
mas as assassinei há muito tempo,
afogadas no lago da minha melancolia

sexta-feira, 30 de julho de 2010

pastora

minha pastora não é tranquila,
ela morreu de overdose,
adestrada pela imperfeição
dos comportamentos, sem perdão
o seu rebanho virou couro de sapato

sexta-feira, 16 de julho de 2010

rio coremas

ó rio coremas
quantas de suas piranhas
são filhas da capital!

por ti cruzam os que não fumam
e se afogam os que rezaram!

por ti chovem os que não cruzam
e se deploram o que não roubam!

ó rio coremas
quantas de suas piranhas
são filhas da capital!

domingo, 4 de julho de 2010

as falas da santa morta

explica, ó deus,
por quem dobram os corações?
quem saúda o teu nome?
onde está a renúncia e a abstenção
quando enxergo o fio da fumaça?

segunda-feira, 28 de junho de 2010

soneto 16

aceite tudo
não rejeite nada
seja pessoal e parcial
desapegue-se do amor
coma as virgens santas e descarte
engane mocinhas
dê o cu para o mundo
acenda seu cigarro torto
goze nas fotos de cristo
pois és perecível
e só assim serás perecível

sábado, 5 de junho de 2010

a falta de fé
e a verdade morta
das doutrinas de cristo
voltaram ao mundo da morte
e quebraram a escadaria do céu
o confuso ciclo da natureza só fez isso:
transformou deus em mercadoria e meretríco

domingo, 23 de maio de 2010

31

estou a imanente ilusão de todos os seres
que me cultuam em altares de picas

sou o uno, sou deus, sou absoluto
e o que não permanece em mim
goza fora de mim

domingo, 16 de maio de 2010

liberdade de opressão

virgens quem comem de menos
virgens dormem demais
que se siririca nas homepages putíficas
é inapto a praticar o yoga os indisciplinados

não come, só dorme, e acaba dando o cu aos idiotas

quarta-feira, 12 de maio de 2010

brusco

não sou na verdade um santo
encontro putas no céu
e lambo a buceta de deus
e ele goza
lembrando das portas do nirvana

domingo, 25 de abril de 2010

bhagava

sou senhor do universo
não crio ações
nem impulsos
nem faço nada de importante

tudo o que sou
nasce do indivíduo
e do leitor

quarta-feira, 7 de abril de 2010

acróstico a rodolfo e as agruras da alma feminina

assim fingi que dormi
eu, rosa, entrei
dizendo: acorda, meu príncipe
não vê eu aqui?
sou teu noivo querido
que nunca te despresou.

o príncipe estava acordado
dei-lhe um aperto de mão
quando amanheceu o dia
fiz a reunião,
com ele como rainha
botando-o em confissão.

rosto flor vivaz, feliz,
onde achou-se meu esposo
dentro do reino de giz
onde o povo era lamurioso
louvando meu rei amado
forte, querido, adorado
o grande príncipe formoso.